APPT21/Centro DIFERENÇAS estabelece protocolo com a MGEN

APPT21/Centro DIFERENÇAS estabelece protocolo com a MGEN

Informamos que a APPT21 estabeleceu com a MGEN um Protocolo que permite a adesão a seguros de saúde mutualistas com condições únicas no mercado.

A adesão aos planos pode ser efectuada pelos associados da APPT21 e utentes do Centro de Desenvolvimento Infantil DIFERENÇAS em plenitude de direitos e respectivos agregados familiares (o agregado familiar deve ser todo incluído).

Factores Diferenciadores:

– Sem limites de idade na adesão ou na permanência
– Sem questionário médico ou selecção clínica
– Sem exclusões de doença, nomeadamente pré-existências
– Sem exclusões de doenças graves
– Sem resolução unilateral do contrato
– Carências reduzidas

Rede Clínica – AdvanceCare
A MGEN utiliza a Rede AdvanceCare para toda a gestão clínica das apólices. A AdvanceCare é uma das principais redes existentes em Portugal, tendo convenção com todos os principais hospitais privados, bem como uma presença nacional em cerca de 17.000 prestadores clínicos das várias especialidades.

Fundada em 1946, a MGEN gere em França o regime obrigatório de seguro de saúde dos profissionais da Educação Nacional, entre outros sectores. MGEN é a sigla de “Mutuelle Générale de l´Education Nationale”, que é hoje a mútua de saúde líder em França.
A MGEN é uma mútua de saúde, regida pelo código mutualista e cujos princípios são a Democracia, a Liberdade, a Independência, a Solidariedade e Não discriminação e a Responsabilização.

Presentes em Portugal desde 2009, os planos da MGEN são geridos e distribuídos pela Europamut, composta por uma equipa de especialistas, sendo a mandatária e a representante fiscal da MGEN.

 

ALTERAÇÕES E MELHORIAS INTRODUZIDAS NOS PLANOS DE 2017

-       Para novos contratos e nas renovações dos existentes os sublimites no ambulatório para intervenção neurodesenvolvimental deixam de existir e passam a estar incluídos no plafond do ambulatório.

ALTERAÇÕES E MELHORIAS INTRODUZIDAS NAS CONDIÇÕES GERAIS E ESPECIAIS DE 2017

-       Visando a simplificação da utilização do Seguro, as Pessoas Seguras podem agora realizar sessões de fisioterapia e terapia da fala, sem necessidade de solicitar uma pré-autorização ou um relatório médico justificativo (artigo 23.º das CG);

-       Também em função da simplificação da utilização do Seguro, as consultas de especialidade deixam de estar limitadas. Com a introdução do novo clausulado, apenas será necessário a apresentação de relatórios médicos nas consultas de Dermatologia ou Cirurgia Vascular a partir da 3.ª consulta, e Psiquiatria a partir da 6.ª consulta individual ou da 12.ª em grupo (artigo 9.º das CE);

-       A administração de tratamentos deixa também de estar limitada. Sendo apenas necessária a apresentação de relatórios médicos no caso da Psicoterapia e da Terapia da Fala e, apenas a partir da 12ª sessão por anuidade (artigo 10.º das CE);

-   No âmbito da cobertura de Hospitalização, as despesas de quimioterapia e radioterapia estão agora garantidas independentemente de serem realizadas em ambiente hospitalar ou em ambiente de ambulatório (alínea c) do n.º 1 do artigo 1.º das CE);

-       Encontram-se agora garantidas as despesas de acompanhamento de todos os menores dependentes em caso de Internamento Hospitalar (n.º 4 do artigo 1.º das CE);

-       As despesas médicas relativas a métodos contracetivos, a partir de agora, estão garantidas ao abrigo da cobertura de Ambulatório (artigo 2.º das CE);

-       A sedação realizada no âmbito da realização de exames deixa de carecer de uma prévia análise clínica;

-       Para o reembolso de medicamentos comparticipados pelo SNS deixa de ser necessário o envio de prescrição médica.

-       Apesar de habitualmente a MGEN não garantir os atos médicos e medicamentos relacionados com o tabagismo,a nova revisão de 2017 clarificou esta situação através da exclusão expressa destes atos no n.º 3 do artigo 5.º das CG;

-       Os prazos para o reembolso de despesas, foram adaptados por forma a agilizar os procedimentos internos da MGEN (artigo 23.º das CG):

o    Nesse sentido, a Pessoa Segura deverá apresentar o pedido de reembolso, no prazo máximo de 90 diasa contar da data de realização do ato médico;

-    O prazo anterior é alargado para 180 dias quando a despesa tenha sido anterior ou parcialmente suportada por outro segurador, no âmbito do regime complementar.

-       As despesas decorrentes de pequena cirurgia passam a ser comparticipadas no âmbito da cobertura de hospitalização, mesmo que não tenha havido lugar a internamento hospitalar.

Consulte os seguintes documentos:

Condições da Apólice

Manual de utilizador

Formulário de Adesão

Pode simular AQUI o seu seguro.

Para mais informações contacte:

LOGO - FSI

Pedro Cabrera
FSI – Consulting & Brokerage
Av.ª Rio de Janeiro, N.º 56, 1º Esq.º
1700-338  Lisboa
Tlm.: (+351) 91 9713301
E-mail: pedrocabrera@consultoriafsi.com
Site: http://www.consultoriafsi.com/